MÚSICA DIGITAL

Um surpreendente relatório de distribuição aponta uma grande movimentação incluindo vendas e streamings dos álbuns e singles de Deep Factory ao redor do globo. A maior parte deles, são de países europeus como a Grã-Betanha, França e Alemanha. Ao que tudo indica, a mudança adotada no segmento das produções tem surtido efeito. Anteriormente quando a prioridade era o Tribal House, os países que mais acessavam eram Canadá, Estados Unidos e México (além do Brasil), onde o tribal ainda tem forte influencia. Depois de alguns singles experimentais, nesse ano foi lançada a coletânea DRIVING AIMLESSLY onde todos os maiores singles de Deep Factory ganharam mais notoriedade em uma nova roupagem mais pop. Para abastecer todos os continentes, foi e está sendo adotado o sistema de singles de trabalho, resgatando faixa a faixa do álbum original em remixes que agradem também os admiradores na terra do Tio Sam. Vale ressaltar que hoje, a cotação do Dólar Comercial e do Euro andam praticamente juntas e o estilo musical eletrônico adotado em ambos continentes são distintos. 
Apesar da grande queda na procura dos álbuns físicos, talvez pela praticidade dos arquivos digitais, é investido em artes visuais, fotos inéditas, faixas bônus exclusivas e video clipes. Ainda há um público o qual coleciona e adquire edições limitadas e raras para suas coleções. Deep Factory tem apresentado bem isso, em edições também em vinyl. 
Para o produtor é uma maneira de guardar uma recordação que um simples "bug" possa lhe tirar e destruir em segundos. Das doze faixas de Driving Aimlessly, faltam apenas quatro para serem lançadas como single pela AURA VIRGIN RECORDS. Existem rumores de um box comemorativo, com todos eles em versão física pra o final do ano.